Focalize em: Arnaldo Belotto

E o Focalize de hoje veio pra apresentar pra vocês mais uma super inspiração da fotografia, quer dizer, nesse caso é uma inspiração do audiovisual. Arnaldo Belotto, pra quem não conhece, é um cara mega talentoso e formado em cinema pela AIC (Academia Internacional de Cinema), já teve oportunidade de dirigir alguns curtas, clipes e fez um longa também. Atualmente trabalha no Studio 8 e meio e se dedica ao novo projeto intitulado Velvet junto com o Renaclo Filho. Para saber mais sobre o Belotto, continuem lendo a matéria!


11698788_876329212415060_6339319784790852306_n


1. Quem é Arnaldo Belotto? 
Ainda não sei. Vou fotografar, ler e viver mais para entender.

2. Quando e de que forma você se descobriu como fotógrafo? 
Quando comecei a faculdade de Publicidade tive aulas de fotografia e cinema, aulas que me afastaram da publicidade para começar um curso de cinema. Produzir e dirigi muitos curtas-metragens e um Longa-metragem, com isso já estava trabalhando na área audiovisual, com direção e produção de Vídeo-clipes. Com as referências cinematográficas que busquei na época o interesse por fotografia se destacou na minha vida. Hoje a fotografia e o vídeo andam juntos, realizo os clipes de bandas e outros materiais e a fotografia faço meu trabalho autoral.

3. Quais equipamentos você mais utiliza em seus trabalhos?
Utilizo uma Canon 6D e câmeras analógicas. Lentes 35mm e 85mm na grande maioria dos casos.

4. O que a fotografia e o cinema representam pra você?
Referências visuais, estéticas, narrativa e emocionais. São duas artes assim como a música que são de facílimo acesso. Existem grandes obras do cinema dos anos 50, 60 e 70 que me influenciam esteticamente.

5. Como você descreve o seu estilo fotográfico?
Minha fotografia se baseia no cinema clássico. Gosto de cenas que me lembrem grandes filmes.

6. Qual o principal objetivo do Projeto Velvet e como você o define?
O objetivo da Velvet é realizar uma imersão no universo feminino e fashion. Conhecer os estilos da cidade e valorizar através das fotografias.

7. Quais as maiores dificuldades que já enfrentou nesse ramo de audiovisual? 
A dificuldade é igual para qualquer outro trabalho. Mas o que vejo como maior problema e que acaba afetando a maioria é o valor dos equipamentos.

8.  O que mais te motiva como artista?
O desconhecido. Por isso me motiva muito fazer retratos. Cada ser tem sua beleza e história. Quanto mais disso tiver na vida, mais sensibilidade se cria.

9. É perceptível a sua sensibilidade nas fotografias, mas como que funciona o processo criativo de cada ensaio?
Todo ensaio é criado em conjunto com a fotografada. Colocamos nossas opiniões e referências, mas deixamos bem aberto para que tenha bastante sentido e beleza para todos.

10. Pra quem está começando agora, existe alguma dica pra se tornar um bom fotógrafo ou videomaker?
Fotografar e filmar quem você ama, sejam amigos, parentes ou seu gato. O importante é conhecer a luz. No mais é desenvolver uma sensibilidade artística, mas isso só se cria com vivência e curiosidade.

Se ficaram interessados no trabalho do Arnaldo Belotto, basta acessar os sites do Studio 8 e Meio e o do Projeto Velvet e a nível de curiosidade, dois dos clipes que ele dirigiu foram do Digo Policiano (tem entrevista com ele no blog também, clica aqui), então fiquem ao som do Digo e com um dos trabalhos lindos que o Arnaldo fez


Dois beijos! Logo terá mais ;*

Lançamento do “Saca la Muerte de tu vida”

Tive a oportunidade de participar do lançamento do álbum “Saca la muerte de tu vida”, com total autoria do Esteban Tavares e com uma convidada especial em uma das canções, a querida Tay Galega. O Evento ocorreu no Teatro Mars e foi graças a Camila Soares, ao Lucas Damião da Perfexx e ao Julies Mazarini que conseguimos ter uma conversa com o próprio Tavares.

O evento no geral foi extremamente organizado, o espaço ocupou todo mundo tranquilamente, a acústica do ambiente foi maravilhosa e as jogadas de luzes deixou toda a performance mais emocionante. Na setlist tiveram muitas das músicas do novo disco, como “As Terças  Podem Se Inverter“, “Janeiro”, “Pra Ser”, “Tango Novo” e “Cigarros e Capitais”. Já tinha acompanhado outras performances do Tavares, mas esse lançamento foi tão incrível que foi impossível não sonhar com o próximo show dele.

A banda e o músico estavam totalmente em sintonia e o público ia a loucura a cada faixa cantada. Uma das canções que mais empolgaram a galera foi “Muito Além do Sofá” que contou com a presença da Carolinie Figueiredo.

Alguns artistas foram prestigiar o lançamento do SLMDTV, dentre eles, PC Siqueira, Lucas Kobayashi (Koba da banda Restart), Titi Müller ( a amada de Tavares) e Karol Queiroz. É isso meus queridos, em breve teremos mais uma resenha por aqui, vamos curtir um pouco esse novo trabalho do Esteban e contaremos pra vocês nossa opinião sobre. As fotos da postagem foram feitas por dois fotógrafos admiráveis que participaram do focalize, Cassiano Geraldo e Jéssica Alves ♥ 

Até mais, Ca

Focalize em: Luringa

Tivemos a oportunidade de fazer um focalize especial com um fotógrafo mais especial ainda.


35279_143630552318958_4375389_n


Luringa fotografa profissionalmente desde 2007 e somos suspeitas pra falar dele, simplesmente porque admiramos o cara a um tempão. Se nunca ouviu falar ou não chegou a vê-lo é por dois motivos, o primeiro é porque provavelmente você não é acostumado a reparar no “backstage” das bandas nacionais ou pode ser que provavelmente você não curta as bandas que ele fotografa, só que isso não significa que você não possa gostar a partir de hoje.



Bom, um dos trabalhos mais bacanas que ele fez foi com a banda Fresno, mas em sua lista tem bandas como Scalene, Strike, Gloria, Bliss, Dead Fish e muitos outros. Enfim, sem mais enrolação, se liguem no bate- papo que tivemos com ele:



É isso seus lindos, logo teremos mais novidades, mais focalize! Se quiserem continuar vendo mais do Luringa é só acompanhar pelas redes sociais abaixo.

FACEBOOK ll INSTAGRAM ll FLICKR ll SITE

Dois beijos e até a próxima

Aperte o play: Banda Forheads

Fala galera! Essa terça merece músicas novas na sua playlist, então venho apresentar a Banda Forheads, que comparado com as outras que passaram pelo aperte o play se torna um pouco diferente, pois tem uma pegada mais pro reggae. Então bora conferir a entrevista, continua lendo, não para não!


1013868_223197841208500_1189131778_n


1. Quando a banda começou e como se reuniram?
A banda teve inicio em 2012/2013 com um projeto do Quesh e do Piva. Como o Piva já tocava a algum tempo com outras bandas conhecia Igor, Nando e Junior e com o tempo uniu todos.

2. Porque escolheram “Forheads” para o nome da banda?
Na realidade a banda se chamaria 4Heads, mas com a entrada de um quinto integrante na banda foi necessário alterar o nome para ter coerência.

3. O que consideram mais difícil no ramo musical?
Oportunidades e sustentar um projeto independente com fundos próprios. O mercado musical que aparece na mídia é dominado por poucos e sonhado por muitos.

4. Quais são as principais influências?
Gostamos sempre de misturar o que gostamos e cada um na banda tem suas preferências. Misturamos Rock, Rap, Reggae, Ska, Samba e até forro se bobiar hahaha. Temos como bandas de influencia que agradam a todos os integrande como Charlie Brown Jr, O Rappa, Forfun, Rael da Rima, Dead Fish, Racionais Mc’s, Tim Maia, Natiruts, Wesley safadão (zuera, isso aqui é para ver se vocês leram mesmo isso aqui haaha)

5. Qual artista ou banda escolheriam para uma parceria?
Falcão, Rael, da Rima, Marcelo D2, Forfun, O rappa

6. O que mais surpreendeu vocês com o clipe “Vitória nas Derrotas”?
O fato da nossa realidade ser tão bem descrita por outras pessoas que na verdade nem sabíamos o que falariam. É bom saber que outras pessoas vivem isso e que estão lutando apesar das dificuldades.

7. Digam uma música que toca sempre na playlist de vocês.
Sublime, O rappa, CBJR, Planta e Raiz, Cidade Negra, Forfun.

8. Como é conciliar a banda com as outras atividades?
É tirar energia da onde não se tem, é dar um tempo que não se pode, é viver com rotina dupla, as vezes tripla e mesmo assim ser super gratificante, pois nada na vida é mais recompensador do que trabalhar pelo o que se ama.

9. Qual show vocês mais curtiram fazer?
Os shows de lançamento do nosso primeiro Clipe, o “Eu vou viajar”, foi muito bom, estávamos rodeados de amigos, familiares e pessoas que pela primeira vez iriam ouvir nosso som. A vibe foi maravilhosa todos dançaram, cantaram e interagiram muito. Saímos de lá com sensação de dever cumprido, ainda mais porque o clipe ficou muito bom!

10. O que diriam a pessoas que estão seguindo o mesmo sonho?
Que a batalha é muito dura, que o trabalho é grande e que as vezes o retorno não é, mas quem sonha não cansa e luta sempre pelo o que ama e fazer com alegria e convicção que dará certo.



Espero que tenham gostado, continuem acompanhando o blog, em breve teremos novidades. E se curtiram a Forheads, curtam a página clicando aqui e se inscrevam no canal. Aconselho ver o clipe inteiro da faixa “Vitória nas Derrotas”, é massa demais

Até mais, Ca!

 

Entrevista com Zack Magiezi

Não sei como vocês funcionam, mas eu tenho um vício de caçar páginas no facebook e foi nessas curtidas aleatórias que eu encontrei um amor de fanpage chamada Estranherismo, a verdade é que eu estava passando por uma fase meio complicada, até que apareceu os textos do Zack Magiezi pra mim, foi como se os meus sentimentos tivessem sido escritos por ele, acredito que se vocês começarem a acompanhar as postagens do Zack, vão entender o que eu estou dizendo. Enfim, a admiração foi tanta que precisei enviar algumas perguntas pra ele responder e aqui estou, pra mostrar um pouco sobre esse cara incrível.


Foto por: Letícia Duval


1. Quem é Zack Magiezi?
Nossa que difícil, eu sou um fotógrafo da vida.

2. Quando você se descobriu um escritor?
Sempre escrevi uma coisa ou outra, mas aumentei a minha frequência quando criei a página estranherismo no facebook, acho engraçado me chamarem de escritor, pois é um título que eu não mereço.

3. O que te fez se interessar pela poesia?
Tenho desde pequeno uma grande inclinação pelo hábito da leitura, meu gênero favorito são os contos (tenho trabalhado em alguns), mas a poesia de Manoel de Barros é meu refúgio particular.

4. Escrever é uma profissão ou um hobbie pra você?
É um prazer, é uma maneira de fazer amor, ela me sustenta, mas não financeiramente.

5. Quais são suas influências literárias?
Julio Cortázar, Gabriel Garcia Márquez, Jorge Luís Borges e os latinos. Leminski, Manoel de Barros e tantos outros, na verdade eles me encantam e sei que são insuperáveis.

6. Os poemas que escreve retratam vivências suas?
Todos os textos têm algo meu com certeza, frustrações, constatações e sentimentos.

7. Qual sua inspiração para fazer “notas sobre ela”?
A alma feminina é repleta de encantamento, as notas são minhas impressões (anotadas) das conversas que eu tenho por esse mundo.

8. Que motivos levaram você a criar a página Estranherismo?
Tentar ter meus escritos em um lugar só (não deu certo).

9. Quais são seus livros preferidos?
O Jogo da amarelinha, Cem anos de solidão, O filho de mil homens e tantos outros.

10. Possui projetos para o próximo semestre?
Estou organizando alguns textos para lançar dois livretos independentes, torça por mim.



Espero que vocês continuem apreciando os trabalhos do Zack, é de uma sensibilidade inacreditável , Se gostaram, curtam a página Estranherismo, aproveitem que está rolando até promoção nesse mês de junho, então corre que ainda dá tempo de concorrer a um livreto artesanal, mais informações sobre, vocês conseguem saber pelo instagram @zackmagiezi.

Beijão, Ca

Focalize em: Luana Patricio

E hoje o Projeto Focalize traz a talentosíssima Luana Patricio, uma fotografa de Içara (SC) que também fotografa aqui em São Paulo! A srt. Luana é uma fofa e tem um talento para fotografia de deixar o queixo caído!

“(…) Eu não lembro de como eu era antes da fotografia. Enfim, a fotografia é minha vida.”



1. Quais equipamentos você usa? E porque prefere Nikon?
Uso uma Nikon, e só utilizo a 50mm 1.8 nos meus ensaios, raramente utilizo a minha outra lente (18-105mm). E agora tenho meu amorzinho, que é a Lensbaby, zerei a vida com ela .
Eu sempre usei Nikon, comecei com essa marca e me apaixonei totalmente com o sistema deles, a qualidade de câmeras e lentes. Mas também uso Cânon, prefiro usar ela em fotos noturnas, gosto mais dela pra esses tipos de fotos.

2. Como é conciliar a odontologia com a fotografia?
É corrido mas é gratificante ao mesmo tempo! Trabalho com fotografia odontológica a mais de dois anos pro Dr. José Luis nascimento Jr. de Santa Catarina. E me apaixonei pela arte dessa área e vi que eu precisava dela na minha vida também! Sou toda doida, quero conseguir fazer o máximo de coisas possíveis e colocar a fotografia junto! A odontologia me permite isso.

3. Você acredita que tem que ter um valor exato pra quem ta começando nesse ramo?
Cada um sabe o valor que tem. As necessidades, os gastos pra cada ensaio, os gastos pra manter a empresa de fotografia. Pra quem tá começando, os gastos não são menor. São os mesmos e até mais, porque quando começamos estamos ainda comprando equipamentos, livros, indo em cursos (na realidade isso nunca para e nunca muda, hahaa)

4. Quanto tempo levou pra você encontrar sua identidade nas edições? E você tem alguma dica sobre?
Em 6 anos de fotografia, eu mudei 4 vezes meu estilo de edição fotográfica. Eu usei um recentemente por mais de 2 anos até, ai me deu um surto e mudei tudo! Acho que não tenho uma identidade exata, crio de acordo com o conceito do ensaio. A dica é simples: pratique e estude. Faça cursos, vejam vídeos no YouTube, peguem tutoriais na internet e quando você menos espera, vai estar na rua andando e criando uma edição mentalmente, sabendo os valores de curves, de nivels e assim por diante.

5. De onde você tira inspiração para a escolha das poses nos ensaios?
Das minhas próprias clientes e da vida, hahaa. Sempre antes do ensaio eu tento conhecer minha cliente e analiso ela, vejo os movimentos dela e sempre deixo elas o máximo de confortável possível. Tento não fazer muitas poses montadas, gosto do espontâneo.

6. Conte sobre o projeto solitude e qual a mensagem que ele quer passar?
Esse projeto fotográfico é puramente reflexo meu, eu sou O Solitude. A ideia nasceu em 2009, quando passei por algumas coisas que tiveram 90% de influência do que sou hoje. O solitude me fez seguir em frente (pode soar dramático, mas é dramático. ️Hahaha) só fiz a primeira sequência dele em meados de 2010 e hoje já possui 5 anos de existência. E não faço muitas desde então, faço em média umas 3 vezes por ano, pois me sobrecarrega demais fazer ele, é um sentimento muito forte. Por mais triste que seja este projeto, ele me fez enxergar a felicidade em alguns cantos e percebi que a solidão é inescapável, todo mundo tem um pouco dela. A única mensagem que quero passar com esse projeto é: sentimento.

7. Você percebe dificuldade pra montar um público em São Paulo?
Não! Por incrível que pareça, haha. Quando a minha primeira cliente de SP me procurou, eu fiquei totalmente surpresa. Conheço muito profissional foda de SP e fiquei honrada que pediram pra eu sair de SC e ir em SP fotografar. E desde então, tenho Job todo mês nessa cidade linda, sem contar que conheci muita gente que quero levar pra vida.

8. Qual ensaio você mais curtiu fazer?
Sinceramente, praticamente todos! Eu realmente sou apaixonada pelo meu trabalho, pela minha arte. Gosto do resultado que estou conseguindo chegar. Mas confesso que amo fazer fotografia conceitual e o New Erotic (fotografia sensual)

9. Quais são seus planos futuros?
Dominar o mundo. Brincadeira, quero que minha arte toque mais as pessoas. Quero começar a dar mais aulas, compartilhar conhecimento é incrível. Quero expandir horizontes.

10. O que fotografia significa pra você?
A fotografia é meu tudo. Minha essência mesmo. As vezes minha mão coça de tanta vontade que tenho de fotografar. Eu não lembro de como eu era antes da fotografia. Enfim, a fotografia é minha vida.



E se você já está apaixonado pelo trabalho dessa linda, não deixe de curtir fanpage no Facebook, confira todos os trabalhos da Lu pelo site oficial e sigam ela no instagram também! Alias, vale a pena de conferir a agenda dela (tanto para as fotos quanto para os cursos) porque ter contato com essa ruivinha é amor na vida.
E não se esqueçam que vocês também podem nos mandar perguntinhas sobre fotografia pelo formulário no blog!

Beijão!

A cara nova da MPB: Victor Kreutz

Cantor e compositor, Victor Kreutz se torna mais uma novidade da MPB, pra quem ainda não conhece, apresento pra vocês o responsável pela música maravilhosa da abertura de I Paraisópolis, acredito que mesmo que vocês não assistam novela, já tenho escutado alguma vez no dia a canção “A cor do Brasil”, essa música tem uma sensibilidade incrível, uma visão do que realmente o nosso país é, acho que foi por isso que fiquei totalmente encantada. Tive algumas perguntas na cabeça e acabei tendo respostas do próprio Victor, então continuem lendo.

Foto por: Silvana Rodrigues


1. Desde quando tem relação com a música? E porque escolheu esse ramo? Meu primeiro contato direto com a música foi aos 12 anos quando ganhei meu primeiro violão. Depois de ouvir Guns n’ Roses em uma rádio , sonhei em ser guitarrista , me dediquei no violão me apaixonei pela MPB e resolvi me dedicar a esse estilo , deixando de lado o sonho de ser guitarrista.

2. O que a canção “A Cor do Brasil” representa na sua vida? A canção representa um marco na minha linha do tempo! Determina o antes e o depois na minha vida.

3. Você já possui planos pra sua carreira? Sim, agora estou em processo de iniciar a gravação do meu 1 disco, 100% autoral  e sair em turnê .

4. Como funciona o processo de criação das letras? São inspirações do cotidiano? O processo de criação de cada canção é diferente , as vezes crio melodias inicialmente, as vezes tenho a letra, mas não tenho a melodia, com A Cor do Brasil foi algo simultâneo, a letra e melodia se acompanhavam a cada nova novo trecho criado

5. Quais são suas influências? Minhas influências são diversas já que sou bem eclético, mas vamos lá : Adriana Calcanhoto , Elis Regina , Gilberto Gil, Milton Nascimento, Florence and Machine, Silvan Esso, Lord, Caetano Veloso, Kate Nash, Ana Carolina entre muito outros.

6. Quem é Victor Kreutz antes e depois da composição “A cor do brasil”? Eu mantive minha essência, o que muda é o reconhecimento do meu trabalho , e é claro , ter uma música de Abertura da novela me torna uma pessoa muito mais envolvida na mídia


Enfim, é possível fazer download da música “A cor do Brasil” pelo Itunes, Google Play e todos esses aplicativos conhecidos sabe? Mas se quiser começar a curtir o som por aqui, também pode! Bom, o Victor pode ser encontrado pela página oficial, só clicar aqui, até a próxima postagem.

Beijão, Ca